Postado em 04 de Junho às 17h13

FAESC debate avanços na agropecuária catarinense

Reuniões regionais ocorreram em todo o Estado

A agropecuária catarinense é referência para o Brasil. Com apenas 1,12% do território brasileiro, Santa Catarina é o maior produtor de suínos do Brasil, o segundo maior de aves e o quarto na produção de leite. O Estado possui um status sanitário diferenciado como área livre de febre aftosa sem vacinação e livre de peste suína clássica. O sucesso do setor no território barriga-verde passa pelas mãos de milhares de produtores rurais que, diariamente, labutam no campo para oferecer à mesa dos consumidores alimentos de qualidade.
         Esses e outros aspectos ligados ao setor primário da economia foram destacados durante as Reuniões Regionais da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (FAESC), entidade sindical de grau superior constituída para fins de coordenação, promoção, defesa e representação dos interesses dos produtores rurais integrantes da categoria econômica rural. Os encontros ocorreram em cinco regiões do Estado e foram coordenados pelo presidente da FAESC José Zeferino Pedrozo.
         Os vice-presidentes Enori Barbieri (vice-presidente), Antônio Marcos Pagani de Souza (vice-presidente de finanças) e João Francisco de Mattos (vice-presidente de secretaria) e os vice-presidentes regionais também participaram das reuniões. Os encontros ocorreram nos municípios de Imaruí (Sul), Ituporanga (Vale do Itajaí), Chapecó (Grande Oeste), Lages (Planalto Serrano) e Mafra (Norte).
         Contribuição Sindical Rural, segurança no campo, crédito rural e qualificação no campo foram alguns dos assuntos abordados durante os encontros. “Nos reunimos periodicamente para debater, junto com os líderes rurais, as principais demandas da agropecuária catarinense com foco nas peculiaridades de cada região. Temos uma agropecuária diversificada e, por isso, buscamos ouvir os anseios de todas as cadeias produtivas”, destaca Pedrozo. 
         O presidente salientou o grande esforço coletivo que vem sendo desenvolvido entre a Faesc e a Polícia Militar de Santa Catarina, por meio da ação da Polícia Militar Ambiental, no combate a violência no campo. “Está ocorrendo em todo o território catarinense a Operação Campo Seguro, com barreiras policiais em proximidades das áreas rurais. O intuito é minimizar a incidência de crimes e oferecer para a população do campo mais segurança e, consequentemente, qualidade de vida”.

         Pedrozo destacou, ainda, que a Faesc luta pelos direitos dos produtores rurais com o apoio da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), em Brasília, onde ocorrem os principais debates e decisões que envolvem o setor. No cargo de vice-presidente de finanças da CNA, Pedrozo tem levado as reivindicações catarinenses ao alto escalão e defendido ações que melhorem a vida dos produtores rurais. “A FAESC tem encaminhado vários expedientes às autoridades constituídas, na condição de porta voz dos anseios da categoria representada. Nosso trabalho é em favor dos produtores rurais catarinenses”, reforçou Pedrozo. 

Veja também

Voltar para (Blog)