Postado em 01 de Abril às 17h27

Grupo foca no cuidado e Gerenciamento de Doenças Crônicas com ênfase em Diabetes

O Programa de Gerenciamento de Doenças Crônicas com ênfase em Diabetes da Unimed Chapecó teve o primeiro encontro de 2019, nessa quarta-feira (27), na sede da cooperativa médica. Este encontro visou promover um debate sobre os hábitos que auxiliam no bem-estar e qualidade de vida por meio de orientações e esclarecimento de dúvidas relacionadas ao Diabetes, uso de medicações, medidas de controle e hábitos saudáveis.
Criado em abril de 2016 pelo Programa de Medicina Preventiva (UNIVIDA), o programa busca o acolhimento dos beneficiários da Unimed Chapecó, portadores de Diabetes Mellitus e realiza o gerenciamento destes, através de ações multiprofissionais de educação em saúde promoção, prevenção e reabilitação a fim de evitar e controlar complicações. A equipe do programa conta com endocrinologistas, nutricionista, psicólogos, enfermeiros e educador físico e a participação de outras especialidades quando observada necessidade.
As enfermeiras Maykler Vanzin e Kelen Magagnin explicam que o programa foi restruturado este ano, devido à necessidade observada na criação de uma rede de atenção para atendimento a estes pacientes, para que se sintam acolhidos e seguros em relação tratamento e medidas de controle da doença. O objetivo é promover maior conscientização e estímulo ao autocuidado, empoderando o beneficiário para o êxito no controle da doença e na melhoria da qualidade de vida com incentivo a adoção de hábitos saudáveis. Segundo elas, a metodologia de grupo, se configura como fator importante para acolhimento e estímulo no controle de doença, permitindo compartilhar experiências e vivências, fortalecer a relação com a equipe de saúde, a construção de conhecimento e o reconhecimento dos aspectos que influenciam no tratamento. Nestes encontros com grupo, os beneficiários são estimulados a convidar familiares e pessoas próximos à participação, como forma de auxílio no enfrentamento da doença. Os encontros são realizados bimensalmente e estes pacientes seguem gerenciados em seus atendimentos pela equipe de enfermagem do Programa.
A atividade desta semana iniciou com explanação da médica endocrinologista Dra. Marielle Lang Makiyama, que esclareceu as dúvidas mais frequentes sobre essa doença que traz insegurança, tem tratamento complexo e envolve um grupo multidisciplinar. “O importante é justamente a oportunidade de os participantes interagirem com essas especialidades. A ideia é tentar desmistificar a doença, transmitindo informações de forma objetiva e com linguagem mais simples para que compreendam o problema, as consequências, o tratamento e os cuidados. Este é o primeiro passo de um caminho longo. A interação multidisciplinar em uma doença como esta traz benefícios ao paciente com informação de qualidade e interatividade”.
A médica endocrinologista Dra. Vanessa Bittencourt complementa que o compartilhamento do conhecimento é fundamental, pois está alicerçado em uma medicina baseada em evidências, ética e na troca de experiências. “Nos propomos a trabalhar como um grupo para melhorar a qualidade de vida das pessoas com diabetes, mas também é uma troca contínua. À medida em que temos conhecimento para partilhar, o paciente também traz sua experiência de vida para dividir conosco, é uma reciprocidade. Gostaria que esse projeto só crescesse dentro da cooperativa como uma forma de melhorar a saúde dos diabéticos que, cada vez mais, aumentam em número e, se tiverem uma má orientação ao longo dos anos, adoecem ainda mais. É uma oportunidade que temos e esperamos sermos bem-sucedidos para acrescentar mais saúde e qualidade de vida a esse público”. 
O educador físico Rafael Paz transmitiu orientações de forma personalizada sobre exercícios que aliados à alimentação adequada são fatores primordiais para prevenção de complicações da doença. Além de orientar, preparou e entregou um plano de atividades físicas para serem desenvolvidas em casa. Além disso, o grupo tem acesso a vídeos para auxiliar na execução do movimento e pode entrar em contato com o educador físico para esclarecer eventuais dúvidas.
Rafael realça que o treinamento de força pode desencadear uma série de respostas fisiológicas importantes, especialmente para os diabéticos. Entre elas, destaca a diminuição da resistência à insulina aumentando o transporte da glicose para o músculo, melhora dos níveis da hemoglobina glicosilada, melhora do perfil lipídico e diminuição dos triglicerídeos. Além disso, contribui para diminuir a pressão arterial, aumento do gasto energético, favorece a redução do peso corporal, diminui a massa total de gordura, preserva e aumenta a massa muscular, entre outros.
A coordenadora do setor Medicina Preventiva, Juliana Rodrigues da Cunha Cezar, ressalta que o Grupo de Gerenciamento de Casos Crônicos acompanhará pacientes com várias doenças crônicas, porém, tendo como primeira abordagem os pacientes acometidos pela patologia Diabete Mellitos, principalmente em função da necessidade do acompanhamento. “Além disso, faremos ações de promoção da saúde e prevenção a esta e outras doenças para esse grupo, seus acompanhantes, familiares e a população em geral. Nossa intenção é manter o acompanhamento para que não tenham tantas complicações como retinopatias, neuropatia diabética, entre outras. Nosso maior objetivo é manter a doença controlada e impedir que outras complicações surjam”.
Com relação ao grupo, Juliana destaca que a intenção é atuar de forma mais ativa trazendo não somente palestras, mas também dinâmicas farmacológicas, atividade físicas tanto com plano feito pelo educador físico para desenvolverem em suas casas, quanto ao ar livre com o apoio da equipe de enfermagem para assegurar o bem-estar dos pacientes, proporcionar a auto percepção por meio de atividades com psicólogas, com ênfase no empoderamento das escolhas alimentares e da tomada de decisão quanto a exercitar-se para obter melhores resultados, bem como oficinas culinárias,  entre outros.
 “Tivemos no ano passado uma oficina culinária com nossa nutricionista que produziu alimentos voltados à nutrição do diabético para que se alimente de forma agradável, mas com todo o cuidado em relação ao açúcar e à gordura que são fatores desencadeantes do descontrole do diabetes”, exemplificou ao comentar que neste ano estão programadas outras iniciativas desta natureza. Além de tudo isso, muita informação para o empoderamento de cada indivíduo a fim de obter melhor qualidade de vida para cada paciente diante de suas limitações e por que não dizer, superando suas expectativas individuais.
O médico responsável pelo Univida, Dr. Edson Stakonski, realçou que a Unimed trabalha há um tempo com o grupo e neste ano o foco é ampliar a atuação. “Entendemos que pacientes crônicos como o diabético tem uma qualidade de vida que se não for monitorada ou não tiver um bom cuidado, terá problemas sérios no futuro. “Essa doença precisa de um acompanhamento contínuo e persistente.  Por isso, reestruturamos o projeto e vamos fazer reuniões mais frequentes. Trouxemos todos os endócrinos cooperados para integrar o grupo para que, junto com os profissionais do Univida, possam oferecer apoio e monitoramento para que tenham mais qualidade de vida”.
Salete Barionuevo, do Bairro Bela Vista, conta que participou do encontro pela primeira vez. “Já participo do grupo no bairro e agora fui convidada a participar na Unimed. Tenho diabetes há 20 anos e já tive outros problemas de saúde em decorrência dessa doença. Por isso, acho fundamental participar de encontros como esse para obter mais conhecimento para ter uma vida com mais qualidade”.
Informações pelo telefone 49 33611812 ou e-mail univida@unimedchapeco.coop.br

Veja também

Confirmado para agosto o 12º Encontro da Imprensa Catarinense26/03 O 12O ENCONTRO DA IMPRENSA CATARINENSE, considerado o maior evento da comunicação barriga-verde, está confirmado para o dia 03 de agosto de 2019, sábado, na sede Social da CDL, em Chapecó. A comunicação foi......

Voltar para (Blog)