Postado em 18 de Novembro de 2019 às 17h23

Programa Cidade Empreendedora contribui no planejamento do desenvolvimento de Caibi

Desburocratização, compras públicas, educação empreendedora, pesquisas e planejamento estratégico da gestão pública, coordenação de projetos e de planos de desenvolvimento econômico, além do aprimoramento de microempreendedores individuais (MEIs), o incentivo à diversidade econômica e o fortalecimento do setor empresarial local. Essas são as principais contribuições do Programa Cidade Empreendedora, executado pela Administração Municipal de Caibi e pelo Sebrae/SC, em prol do desenvolvimento planejado do município.
“O objetivo do poder público é construir um planejamento de desenvolvimento municipal com a contribuição das lideranças e dos empresários locais. As ações iniciaram em março deste ano e avaliamos positivamente a contribuição do programa para Caibi. Nesse processo destaca-se a participação efetiva da comunidade que aceitou o convite proposto, o comprometimento dos servidores municipais em implantar as ações sugeridas para otimizar a prestação de serviço aos munícipes e o interesse do setor empresarial em fortalecer a economia”, analisa o prefeito Elói José Líbano.
A diretora de desenvolvimento econômico e turismo de Caibi, Claudia Rigotti Biasi, relata que nos três meses de atuação da Sala do Empreendedor foram realizados 27 atendimentos, sendo: duas orientações, sete encaminhamentos de viabilidade via Sistema de Registro Integrado (REGIN), seis aberturas de MEI, três emissões de guia DAS/MEI, cinco auxílios para emissão de nota fiscal, duas alterações de endereço e duas modificações de atividade.
Ainda entre as ações que serão realizadas pelo programa do município estão o Programa Jovens Empreendedores Primeiros Passos (JEPP) que iniciará em três escolas municipais em 2020, com o intuito de despertar o espírito empreendedor dos estudantes e para que eles possam identificar possibilidades de futuros negócios. Também serão realizadas ações de fomento e desenvolvimento para o setor do agronegócio e das agroindústrias familiares com o objetivo de transformar a matéria-prima de maneira que agregue valor e que viabilize possibilidades para implantar indústrias de processamento no município.
Capacitações
A Sala do Empreendedor de Caibi oferece oficinas de capacitação e consultorias individuais aos MEIs do município. Entre as qualificações realizadas no mês de setembro estiveram a oficina “Como controlar o fluxo de caixa” com o consultor credenciado ao Sebrae/SC Valdecir de Moura, com a participação de 27 participantes entre MEIS, microempresários, estudante e potenciais empreendedores; e quatro horas de consultoria individual na área de gestão financeira, que beneficiou quatro MEIs.
Devido à demanda dos empresários, no mês de outubro, foram oferecidas mais oito horas de consultoria individual na área de gestão financeira com a consultora Sandra Mara Somavilla, que atendeu oito empreendedores, entre MEIs e microempresas.
“As avaliações das consultorias foram extremamente positivas e foi nítida a satisfação dos participantes. A maioria externou o interesse de receber mais orientações dos consultores e de aplicar as orientações sugeridas em seus negócios”, comenta a atendente da Sala do Empreendedor e agente de desenvolvimento, Tais Provensi.
Para este mês está prevista a oficina “Mídias Digitais: Facebook e Instagram”, nesta terça-feira (19), às 18h30, no auditório da Prefeitura, com a consultora credenciada ao Sebrae/SC Veridiane Endres. As inscrições estão abertas e podem ser feitas na Sala do Empreendedor de Caibi ou pelo telefone (49) 9 9971-0502.
Caibi
O município de Caibi, no Extremo Oeste catarinense, possui uma população de 6.167, segundo estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para o ano de 2018. No município 3% dos estabelecimentos estão ligados a agropecuária, 18,4% a indústria, 25,2% ao comércio e 53,4% são do setor de prestação de serviços. O setor que mais emprega com carteira assinada é o de prestação de serviços (45,8%, seguido pela indústria (29,9%) e o comércio (20%).
De acordo com dados do Ministério do Trabalho e Emprego, relativos a 2017, o município contava com 369 empresas, das quais foram responsáveis pela geração de 1.248 empregos formais. Naquele ano, as empresas de micro e pequeno porte representavam 99,2% dos estabelecimentos locais. Além disso, as MPE foram responsáveis por 76,7% dos postos formais de trabalho. 

Veja também

Sindicont firma acordo de cooperação com o Observatório Social14/11/19 O presidente do Observatório Social (OS) de Chapecó Mario Miranda, o vice-presidente administrativo e financeiro Vilmar Luiz Mattiello, o vice-presidente institucional e de aliança Ednei Rebonatto e o vice-presidente de controle social Antonio Vivian participaram, nesta semana, de reunião da diretoria do Sindicato dos Contabilistas de Chapecó (Sindicont). Eles apresentaram os......
Projeto oportuniza diagnóstico energético em empresas rurais11/06/19 O projeto para realização do diagnóstico energético feito para verificar a realidade das instalações elétricas, o consumo de energia e as questões de segurança é o primeiro passo da......
Cuidados podem ajudar na prevenção de desalinhamentos na coluna27/08/19 Cada vez mais aumenta o número de pessoas que sofre com desalinhamento da coluna vertebral – problema que se manifesta em três versões: escoliose, cifose e lordose. Os desvios da coluna são de origem genética e do......

Voltar para (Blog)