Postado em 16 de Abril às 16h37

Problemas ortopédicos afetam número expressivo de produtores rurais

É significativo o número de produtores rurais com doenças ortopédicas crônicas causadas por vícios de postura e uso de equipamentos e instrumentos de forma inadequada ou por um período longo ininterrupto. Aliado a isso, a própria natureza do trabalho agrícola aumenta o surgimento de problemas desta natureza, pois mesmo com o avanço da tecnologia, demanda grande esforço no desenvolvimento das atividades.
 Segundo o médico ortopedista e traumatologista Joaquim Reichmann os principais problemas ortopédicos nesse público afetam a coluna vertebral, tais como hérnias discais, compressão de nervos, desgastes ósseos e problemas de joelho e ombro.
Os males são, basicamente, originados ou agravados pela falta de cuidados na hora das atividades. Reichmann menciona que os problemas no joelho são muito comuns, como as fraturas, lesões ligamentares e meniscais em função de traumatismos comuns durante as jornadas de trabalho e decorrentes do futebol - principal diversão no meio rural. Também são muito comuns os problemas de ombro, como a síndrome do impacto devido ao grande esforço praticado com os membros superiores.
Os vícios de postura contribuem com grande parte dos problemas.   “Em função de fatores intrínsecos, a agricultura é uma das atividades que mais sobrecarga causa no sistema musculoesquelético, por exigir grande vigor e força física, e pelo período prolongado de tempo, ou seja, o trabalhador rural trabalha de sol a sol em atividade que exige muito do seu aparelho locomotor”, explicita o médico.
O risco de lesões pode ser minimizado se o produtor rural utilizar os equipamentos e ferramentas adequadas, evitando a sobrecarga e as lesões.    Entre os males da coluna, joelho e ombro, os traumatismos mais fáceis de prevenir são os da articulação do joelho, evitando pancadas ou entorses com mecanismo de alavanca. Os males mais difíceis de curar são os da coluna vertebral, pois quando se exteriorizam a doença normalmente está em fase avançada e às vezes mesmo os melhores tratamentos não são eficazes para curá-los. “Proteger a coluna vertebral usando cintos protetores nos grandes esforços seria uma das formas mais eficazes de prevenção”, orienta Reichmann.
Os problemas ortopédicos são diferentes, pois durante o desenvolvimento na idade jovem são mais comuns as ostecondrites, que são enfermidades que atingem mais os ossos que estão em fase de crescimento. O tratamento exige medidas como repouso, gelo, imobilização e, em raros casos, cirurgia.
Joaquim Reichmann enfatiza ainda que a mecanização da atividade agropastoril diminui sensivelmente estes males e, aliado a dispositivos de proteção e segurança, reduz o índice de lesões.

Veja também

Voltar para (Blog)