Postado em 02 de Julho às 16h55

Dia de festejar o cooperativismo

Por LUIZ VICENTE SUZIN - Presidente da OCESC (Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina) e do SESCOOP/SC (Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo)

O Dia Internacional do Cooperativismo é comemorado há 97 anos em todos os continentes no primeiro sábado do mês de julho. Por outro lado, no Brasil surgiu há dez anos o Dia de Cooperar ou Dia C – um movimento nacional de estímulo às iniciativas voluntárias diferenciadas, contínuas e transformadoras realizadas por cooperativas. Nesse sábado, 6 de julho, as duas efemérides se fundem para mostrar que o movimento cooperativista se diferencia dos demais modelos econômicos por sua capacidade de melhorar a vida das pessoas. Sob coordenação do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/SC) e da Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina (Ocesc), 14 cooperativas se unem no Parque de Coqueiros, em Florianópolis, no horário das 9 às 16 horas, para desenvolver ações gratuitas nas áreas de cultura, educação, responsabilidade socioambiental, saúde, esporte e lazer. Atividades semelhantes serão desenvolvidas em todas as regiões catarinenses.
A Aliança Cooperativa Internacional (ACI) escolheu, para o Dia Internacional do Cooperativismo, o tema “Cooperativas – um trabalho digno”. O tema realça que as cooperativas são empresas voltadas para pessoas, caracterizadas pelo controle democrático que prioriza o desenvolvimento humano e a justiça social no ambiente econômico. As cooperativas ajudam a preservar o emprego e promover o trabalho decente em todos os ramos da economia.
As conquistas e avanços proporcionados pelo cooperativismo são realçados no transcurso do Dia Internacional do Cooperativismo e do Dia C. Essa data permite reconhecer que a cooperativa é a organização humana com a melhor cultura e a maior inclinação para processar, absorver e aprimorar em benefício social as mudanças e as transformações dos novos tempos.
As cooperativas são organizações humanas inspiradas em princípios da conjugação de esforços com objetivos econômicos. Os sete princípios cooperativos, linhas orientadoras através das quais as cooperativas levam os seus valores à prática, expressam com altissonância sua natureza: adesão voluntária e livre, gestão democrática, participação econômica dos membros, autonomia e independência, educação/formação/informação, intercooperação e interesse pela comunidade.
            Na verdade, Santa Catarina tornou-se paradigma nacional de eficiência e de cooperativismo. É a unidade da Federação brasileira com maior taxa de adesão ao cooperativismo. A vocação para a inovação e o empreendedorismo são as qualidades mais proeminentes do cooperativismo catarinense, ao lado da observância dos princípios universais do cooperativismo. As cooperativas foram pioneiras no desbravamento das regiões, na instalação de centros de produção e na transferência de tecnologia.
O cooperativismo catarinense tem tido a habilidade necessária para enfrentar as crises e manter a sustentabilidade dos negócios e a viabilidade dos diversos ecossistemas, clusters e cadeias produtivas. As cooperativas catarinenses cresceram 7,22% em 2018 (6,5 vezes mais que a economia brasileira) e obtiveram receita operacional bruta de 35,6 bilhões de reais. As 258 cooperativas catarinenses reúnem mais de 2,4 milhões de associados. A profissionalização dos quadros diretivos das cooperativas mediante frequentes investimentos do Sescoop, o emprego de modernos recursos gerenciais e a adoção de uma visão empresarial foram decisivos para o êxito das cooperativas. É previsível que, de modo crescente, as sociedades modernas adotarão o cooperativismo como modelo de organização econômica e social.

Veja também

Voltar para (Blog)