Postado em 08 de Maio às 17h37

Perspectivas para o setor leiteiro em debate no Interleite Sul 2019

Evento reúne cerca de 700 participantes e segue com programação nesta quinta-feira

“O Sul do País tem os maiores produtores de leite. Isso se deve aos sistemas de produção padronizados, perfil das propriedades, colonização e uso de mão de obra familiar que apontam para um modelo produtivo vencedor”, afirmou o sócio da MilkPoint Mercado, Valter Galan, que explanou sobre “Tendência de curto e médio prazo para o setor leiteiro no Brasil”. Galan foi o primeiro painelista do mais qualificado e respeitado seminário técnico do setor na região Sul: o Interleite Sul 2019 que iniciou em Chapecó nesta quarta-feira (8) e segue até quinta-feira (9), no Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo de Nes.
O palestrante explicou que o cenário do leite para este ano está relacionado diretamente às questões de oferta e demanda do mercado e também com o desempenho econômico do Brasil. Em relação à produção leiteira no Sul, Galan relatou que há dez anos era 30% menor que a produção brasileira. “Hoje, os números produtivos giram em torno de 40% acima da produção nacional”. O palestrante ressaltou, ainda, que a perspectiva para os próximos anos é que a produção leiteira no Sul aumente e chegue a metade da produção brasileira. 
De acordo com o CEO da Agripoint e coordenador geral do Interleite Sul 2019, Marcelo Pereira de Carvalho, o objetivo é proporcionar conhecimentos e troca de experiências com profissionais, além de acesso a tecnologias avançadas no setor. “A cadeia do leite passa por um processo de transformação, mas está longe do seu pico. Esse ano trouxemos temas relacionados à tecnologia, acesso à informação, estratégias de negócios para os produtores, pois são relevantes aos profissionais do setor e estudantes da área”, ressaltou.
A produção leiteira tem importância social e monetária para a região do Oeste catarinense. O secretário da Agricultura de Chapecó, Valdir Crestani, destacou que o setor leiteiro é uma das cadeias produtivas que mais se desenvolveu nos últimos anos e tem influenciado diretamente no crescimento do setor primário na região.
O presidente do Sindicato Rural de Chapecó, Ricardo Lunardi, salientou a importância de se preparar para o futuro entendendo as demandas do mercado. “As propriedades rurais devem se desenvolver tecnologicamente para isso, mas é fundamental que ocorram investimentos em políticas para a formação do preço do leite, com uma forte participação do governo e incentivo fiscal a esses produtores, oferecendo sustentabilidade ao setor”.
Em um esforço técnico e gerencial, o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar/SC) vem desenvolvendo um trabalho no campo oferecendo assistência a cerca de 1.500 produtores na área do leite em diferentes regiões do Estado. Essa união de esforços entre produtores rurais e entidades públicas e privadas tem resultado em avanço e melhorias na produção e na qualidade do leite.
            REFERÊNCIA NACIONAL
O Sul reúne três dos principais produtores de leite do País. A região tem uma produção média de 12 bilhões de litros/ano e um crescimento de 6% ao ano em comparação a outras regiões do Brasil. Juntos, os três estados do Sul somam a maior cadeia produtiva leiteira do País.
Os sistemas de produção e eficiência econômica para o Sul são o tema principal do Interleite Sul 2019. Seis painéis, 22 palestrantes-debatedores e um conjunto de temas da atualidade econômica, científica e mercadológica compõem a programação que segue nesta quinta-feira (09).
O seminário tem como foco apresentar as principais mudanças que estão ocorrendo na cadeia, as tecnologias no campo, a aproximação entre indústrias e produtores. Neste ano, também traz temas que focalizam os consumidores, suas expectativas e exigências, além de assuntos como automação e robótica, terceirização de atividades, otimização de investimentos.
REALIZAÇÃO
O evento é uma iniciativa da AgriPoint e tem como patrocinadores diamante a Lac Lélo, Piracanjuba e Syngenta. O patrocínio platina é da Ceva, Hipra, Lely, Orde Milk, Pioneer, Sementes Adriana e Vetoquinol. O apoio é da Mais Leite, Prefeitura de Chapecó, Grupo Apoiar, Viva Lácteos, Transpondo, Sindicato Rural de Chapecó, Udesc, Mundo do Leite, Intecsol, Balde Branco, Agro e Negócios, Chapecó e Região Convention Visitors Bureau e Emater/RS.

Veja também

Voltar para (Blog)